sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

ANALISANDO O FUTEBOL DE HOJE


O QUE VALE É BOLA NA RÊDE

Wilson Silveira Luiz
MTb 33092

O saudoso Ennio Rodrigues Caraça, o inesquecível barítono do scratch do rádio, notabilizou suas transmissões esportivas com o clássico –O QUE VALE É BOLA NA RÊDE.
Pois bem. Os tempos passaram e hoje o futebol tem se caracterizado pela força física ou pela nova moda de “posse de bola.”
O time tem às vezes 70 por cento de posse de bola, mas perde por 1 a zero.
Daí então a lembrança do bordão do Ennio. Continua valendo “o que vale é bola na rêde”.
Os novos “entendidos” de futebol ficam felizes por registrarem nas estatísticas a tal de “posse de bola”.
Eu fico ainda com o que o Ennio dizia – vou repetir – O QUE VALE É BOLA NA RÊDE.
Na verdade o futebol brasileiro vem “caindo pelas tabelas” depois que passou a valorizar mais a parte física do que a parte técnica.
Outro detalhe – o futebol brasileiro era bem mais atraente quando tinha um goleiro, 2 zagueiros, 3 na chamada intermediária e 5 na frente.
Que saudade daqueles tempos.
Será que um dia, nós, amantes do futebol, teremos de volta a prevalência do “o que vale é bola na rêde ?”
Com a palavra os “catedráticos” do futebol.
Eu fico aguardando que um dia o nosso futebol-arte volte aos gramados.
-.-

Nenhum comentário:

Postar um comentário